Historia

História

Santo Agostinho, santo titular do Collegium Sapientiae

Desde as origens em 1131/2 em Coimbra, Portugal, a Ordem dos Cônegos Regulares da Santa Cruz manteve uma Escola claustral para a formação de sacerdotes. No Mosteiro da Santa Cruz em Coimbra formou-se Santo Antônio que, depois da ordenação sacerdotal (em 1219), passou para a Ordem dos Frades menores de São Francisco. Mais tarde, os Cônegos fundaram o chamado Colégio de Santo Agostinho ou Collegium Sapientiae em Coimbra, que fez parte da Universidade, fundada em Lisboa (1290) e transferida para Coimbra no ano 1537. Em 1539, o Collegium Sapientiae obteve do Papa Paulo III. o direito de conferir os graus acadêmicos de Mestrado e Doutorado em Teologia e Direito Canônico.

Igreja e Mosteiro da Santa Cruz em Coimbra, Portugal

Suprimida por decreto do Governo civil, em 1834 (junto com todas as demais Ordens religiosas masculinas em Portugal), a Ordem dos Cônegos Regulares da Santa Cruz foi restaurada em 1979. Convidados por Dom Manoel Pestana Filho (+2011), então Bispo de Anápolis, em 1983, os Padres da Ordem começaram a lecionar no Seminário Maior da Diocese de Anápolis. Em seguida, foi restaurado o antigo Colégio de Coimbra e transferido para esta diocese com o nome de Institutum Sapientiae. O Instituto foi aprovado pela Congregação para a Educação Católica, com decreto de 12 de novembro de 1988 “ad experimentum”. Em 16 de novembro de 2007, os Estatutos foram aprovados de modo definitivo.

O Institutum Sapientiae oferece, atualmente, cursos de Filosofia, de dois anos, e de Teologia, de quatro anos, para candidatos ao sacerdócio. As disciplinas são ministradas de acordo com as Diretrizes para a Formação dos Presbíteros da Igreja no Brasil (CNBB, 15 de agosto de 2010) e com o Decreto de reforma dos estudos eclesiásticos da Filosofia (Congregação para a Educação Católica, 28 de janeiro de 2011). Desde o ano 2000, o Instituto publica, anualmente, a Revista Filosófico-Teológica Sapientia Crucis.

publicado em 26/02/2014 por frtarcisius