Exame de Universa Theologia

O exame De Universa Theologia


1. Todos os estudantes ordinários devem submeter-se ao exame De Universa Theologia (cf. Statuta, n. 65). No intuito de assegurar e verificar uma completa formação filosófico-teológica básica de todos os alunos (inclusive dos que não receberam toda a formação teológica no Instituto), exige-se o exame De Universa Theologia também dos estudantes extraordinários. Quem não passou em todas as matérias obrigatórias do curso não pode fazer a prova De Universa.

2. Para poder obter o grau do Bacharelado o candidato deve ter passado as provas em todas as línguas (cf. art. 4) dentro do prazo previsto. Além disso, deve ter obtido como nota média de todas as disciplinas do curso de Teologia ao menos a nota “sete”. Ao aluno que não tiver preenchido as condições para a obtenção do grau acadêmico, será concedido o certificado das disciplinas cursadas.

3. No semestre final, as aulas e as provas particulares terminam em outubro. No mês de novembro se realizarão as provas De Universa Theologia. A última prova escrita seja ao menos uma semana antes da prova oral.

4. O candidato é submetido a um exame escrito e oral abrangendo sessenta teses tomadas dos principais assuntos tratados durante todo o currículo teológico (S. Escritura, Teologia Fundamental e Dogmática, Teologia Moral, Liturgia, Direito Canônico).

5. Uma semana antes de cada exame escrito, o secretário comunica uma terça parte das teses, escolhida pelo respectivo professor, que será objeto do exame escrito. A duração deste exame pode ser determinada pelo respectivo professor, conforme as perguntas que ele fizer. O aluno ordinário que não passar em todos os exames escritos não pode fazer a prova oral.

6. No exame oral todas as teses podem ser objeto do exame, que dura uma hora.

7. A nota média do exame De Universa (por escrito e oral) é somada com a nota média de todas as disciplinas do curso de Teologia (o peso da nota dos diversos cursos mede-se pelos créditos), tendo a nota do exame De Universa o peso de um terço, e a nota média dos cursos, o correspondente peso de dois terços

publicado em 18/05/2011 por Daniel Fernandino